Leia em sua Bíblia – Mt 18.23-35

As parábolas foram usadas diversas vezes por Jesus para ensinar os discípulos e o povo, podemos notar que a atitude do “personagem”, não reflete a boa ação que recebeu.

Porque muitas vezes não fazemos o bem em situações que deveríamos?

Essa é uma pergunta difícil, mas creio que seja a nossa velha natureza que sempre tenta reviver!

O capitulo 18 é muito interessante, pois ele nos fala sobre a importância de uma conduta digna, algo que distinguiria os membros do reino, do restante das pessoas.

Em especial, olharemos para a parábola, chamada pelos editores de nossas bíblias, A parábola do credor incompassivo (Revista e Atualizada) ou O empregado mau (Nova Tradução na Linguagem de Hoje).

Jesus compara o reino com um rei que decidiu ajustar contas com seus servos. Esse rei encontra um servo que lhe devia dez mil talentos. O servo não teria como pagar, e conseguiu o perdão.

O importante não é falarmos da quantia, ou fazermos as contas para vermos quanto equivaleriam esses dez mil talentos, nos dias de hoje, mas sim de enfatizar que para um servo foi perdoado uma grande quantia, e este servo não fez o mesmo para o seu conservo.

Após ser perdoado, vemos que este servo, não fez o mesmo que o seu senhor, o rei, lhe havia feito, ele não perdoou. A palavra que descreve isso é ingratidão, pois quando somos abençoados, devemos também abençoar, não por obrigação, mas por livre e espontânea demonstração de uma vida transformada, pois um verdadeiro cristão é reconhecido por seus frutos, um bom texto que fala sobre os frutos é o de Galatas 5-22-23.

O rei é informado por pessoas, que não gostaram da atitude do servo. Creio que nem passou pelos pensamento do credor incompassivo

A parábola termina com a frase de Jesus: “Assim também meu Pai celeste vos fará, se do íntimo não perdoardes cada um a seu irmão”.

Essas palavras duras para os que não tem feito conforme os ensinamento de Jesus sobre o perdoar, e palavras doces para os que estão praticando e ensinando esses mandamentos para os outros.

Se você tem sofrido, ou tem não tem demonstrado sua gratidão, ore e peça a Deus que mude sua vida, sua forma de agir, e procure ajuda em sua igreja, com os pastores ou pessoas capacitadas para lhe ajudarem.

Fraternalmente em Cristo Jesus o Salvador,

Leonardo Rodrigues Pereira